Compreendendo o impacto da pandemia de COVID-19 nas indústrias extrativas

A pandemia da COVID-19 e a recessão económica global que se seguiu teve um impacto profundo e nunca visto nas indústrias extrativas em todo o mundo. Contudo, a recuperação após a pandemia criou uma oportunidade única para investir em modelos de negócio e infraestruturas mais sustentáveis e resilientes no setor.

As indústrias extrativas têm um papel a desempenhar na recuperação económica dos países da Parceria. Os governos esperam que a crescente procure por matérias-primas críticas e o desenvolvimento e expansão de projetos de mineração atraiam investimento e estimulem a criação de empregos.

A UE e a América Latina manifestaram o seu interesse comum em reforçar a cooperação ao longo da cadeia de valor das indústrias extrativas, com base nas suas complementaridades, objetivos em comum e valores partilhados em questões como a mineração sustentável e responsável e o fornecimento.

Esta Plataforma reúne as partes interessadas relevantes da UE e da América Latina para que possam partilhar conhecimentos e esforços para adoptar modelos sustentáveis de mineração e fornecimento que possibilitem construir o caminho para uma recuperação sustentável.

Os parceiros do projeto na UE e na América Latina tomaram várias medidas para mitigar os efeitos adversos da crise (detalhes abaixo). No entanto, à medida que a recuperação global ganha força, ela tem vindo a tornar-se cada vez mais desequilibrada. As economias de menor rendimento que dependem das indústrias extrativas não têm sido capazes de suportar os pacotes de estímulo sem precedentes implementados em economias avançadas como a UE e estão em risco de ficar para trás.

As rupturas na cadeia de abastecimento tornaram-se um grande desafio para a economia global desde o início da pandemia. O encerramento de empresas, os bloqueios em vários países em todo o mundo, a falta de mão-de-obra, a elevada procura de bens transacionáveis, as perturbações nas redes logísticas e as limitações de capacidade resultaram no aumento dos custos de transporte de mercadorias e dos prazos de entrega.

Continuam a existir riscos e incertezas consideráveis relacionados com novas medidas governamentais que podem perturbar as cadeias de abastecimento e limitar a produção nas minas. Os governos da América Latina limitaram as atividades não essenciais , forçaram o isolamento social, o encerramento de empresas e as quarentenas , e ordenaram bloqueios a nível nacional ou subnacional como resposta à crise. Por conseguinte, as cadeias de abastecimento de matérias-primas continuam vulneráveis a futura escassez a nível da oferta e a restrições de capacidade logística induzidas por outra onda de novos casos de COVID-19.

Junte-se a nós para aceder à nossa Biblioteca, que inclui relatórios, estudos e outros documentos relevantes relacionados com o impacto da crise da COVID-19 nas indústrias extrativas dos países da Parceria.

União Europeia

Situação atual

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, uma agência da UE, está encarregado de monitorizar e fornecer informações atualizadas sobre a situação da COVID-19 para a UE (link, em inglês).

Ações de resposta

A UE está a mobilizar todos os recursos disponíveis para ajudar os estados membros da UE a coordenar as suas intervenções nacionais, e isto inclui o fornecimento de informação objetiva sobre a propagação do vírus, os esforços eficazes para o conter e as medidas tomadas para reparar os danos económicos e sociais trazidos pela pandemia.

Nesta página, pode aceder às páginas dedicadas e aos recursos publicados pelas instituições e organismos da UE, assim como pelos estados membros da UE.

Durante a crise, os líderes da UE acordaram num pacote abrangente de recuperação - o maior pacote de estímulos de sempre - para promover a recuperação e reconstruir uma Europa mais ecológica, mais digital e mais resiliente.

A Comissão Europeia está empenhada no princípio do acesso universal, equitativo e económico às vacinas, especialmente para os países mais vulneráveis, e lançou o Coronavírus Global Response (Resposta Global para o Coronavírus) - uma ação global para o acesso universal à vacinação, tratamento e testes coronavírus a preços acessíveis - como resposta ao apelo global de ação lançado pela Organização Mundial de Saúde com governos e parceiros em 24 de abril de 2020, face à pandemia.

O Coronavírus Global Response pretende igualmente reforçar os sistemas de saúde em todo o mundo e apoiar a recuperação económica nas regiões e comunidades mais frágeis do mundo.

América Latina

Situação atual

A Organização Mundial de Saúde construiu um painel da situação do Coronavírus (COVID-19) (link, em inglês) que fornece os números globais mais recentes e os números por país dos casos de COVID-19. O painel inclui um índice de saúde pública e medidas sociais de severidade que abrange medidas relacionadas com, entre outras coisas, a adaptação ou encerramento de empresas, limites e restrições a concentrações públicas e privadas, restrições à circulação doméstica de transportes públicos e ordens para permanecer em casa, e restrições a viagens internacionais (restrições de entrada, quarentena e testes).

Links em inglês.

Ações de resposta

A Comissão Económica para a América Latina e Caraíbas construiu um Observatório da COVID-19 na América Latina e Caraíbas (link, em inglês) que acompanha as políticas públicas que os 33 países da região da América Latina e Caraíbas estão a implementar para limitar o impacto da pandemia da COVID-19, e oferece análises dos impactos económicos e sociais que estas políticas terão a nível nacional e setorial.

Links em inglês.


Source URL: https://www.mineralplatform.eu/covid